O Mundo Utópico

O Mundo Utópico seria uma lugar onde não houvesse fome, as guerras seriam inexistentes, presentes apenas nos livros de história, haveria água potável para todos, doenças já teriam sido erradicadas pois o saneamento básico e o forte investimento na saúde foram completamente eficazes. O dinheiro viria sempre depois do bem estar das pessoas, ninguém passaria o outro para trás, até porque não haveria necessidade, pois devido o forte investimento em ensino todas as pessoas conseguiam se formar numa boa escola e conseguiriam seu diploma de ensino superior.

Este último item é bastante comentado, seja em cadeia regional, nacional ou mundial. O estudo é a base do mundo moderno, sem ele ainda estariamos agindo feito animais vivendo em cavernas, caçando para se alimentar e seriamos totalmente ‘desevoluidos’. O estudo, ou a falta dele, também é usado muitas vezes para justificar a violência presente no mundo inteiro, não posso afirmar se isto está correto ou não, mas é fato que uma pessoa sem estudo não chega à lugar algum, a menos que ganhe na loteria ou herde uma boa herança, mas mesmo assim, ainda precisará de inteligência para ‘controlar os gastos’ e não acabar na falência.

Muitos afirmam que o Estado é, certamente, capaz de promover um forte investimento no ensino do país. Eu também acredito que o país possui essa capacidade. Supondo que todas as pessoas conseguissem realmente ter um ensino de base e houvessem vagas suficientes para todos os alunos cursarem ensino superior, o que aconteceria? De fato haveria uma melhora surpreendente na economia e desenvolvimento do país, profissionais mais capacitados, pesquisadores, etc. Mas será que nosso atual sistema aguentaria isso? Se todos fossem realmente capazes de cursar o Ensino Superior à quem seria direcionado os cargos que fazem o chamado “serviço pesado”?

Quem limparia as ruas e as casas? Quem atenderia as pessoas nos balcões de Supermercados? Quem arriscaria a vida para fazer segurança de boates/bancos/casas/shoppings? Quem faria entregas pelo Brasil todo, em caminhões, arriscando a própria saúde/vida? Quem colocaria a ‘mão na massa’ numa obra de construção civil? Enfim, não tenho nenhum tipo de preconceito com quem exerce essas funções, até acho que esses serviços não são valorizados como deveriam, mas, quem em sã consciência, e com diploma de Ensino Superior na mão, aceitaria fazer algum desses serviços? Penso que se faltar mão de obra nessas áreas simplesmente o Mundo para de progredir. Lembrando que do mesmo jeito que estou supondo se todos conseguiriam ter acesso ao ensino superior, suponho também que haja mercado de trabalho para essas pessoas.

Mas a minha dúvida mesmo é: Será que o Estado tem isso em mente e por isso não promove um investimento em massa na educação do país, ou isso apenas é fruto de um sistema que favorece poucos e desfavorece muitos?

Matheus Carvalho

Anúncios

, , , ,

  1. #1 por Arthur Oliveira em 17/09/2010 - 00:24

    Estava conversando sobre isso, esses dias com o meu pai. Em uma conversa sobre eleições, política, etc… ele falou sobre a rede estadual de ensino aqui no meu estado (RJ) com a gestão do Cabral. De fato, todos sabemos que não obteve um dos melhores índices. Então me veio a cabeça, essa hipótese! Se todos estudassem além do ensino médio, procurassem fazer uma graduação, quem iria construir hospitais? Teríamos pessoas capacitadas para a gestão do hospital, teríamos médicos e enfermeiros, mas não teríamos pessoas pra construir o diacho do hospital pelo simples fato delas terem formação demais pra isso! Uma frase, que o meu ex professor de matemática sempre dizia e que pode resumir esse “sistema” é: “Pra um subir, alguém tem que se foder”!

    • #2 por matheusco em 17/09/2010 - 08:31

      Exatamente. Parece até meio cruel, mas é assim que é.

  2. #3 por crustie2 em 26/10/2015 - 10:51

    Acho que essa concepção é completamente equivocada. Somente investir na educação não é suficiente, antes precisamos acabar com o status quo vigente de forma que garanta um ensino que realmente forme indivíduos críticos, autônomos e ativos na sociedade. O atual sistema de ensino visa apenas a criação de trabalhadores para o mercado de trabalho e não seres conscientes. Em momento algum nas escolas temos o ensino que preze pelo desenvolvimento de nossas capacidades de forma que seja de acordo com nossos interesses e que ensine a coletividade, a fraternidade e a liberdade. Felizmente já existe alguns movimentos sociais a respeito que buscam uma educação que realmente forme pessoas “humanas”. Veja o exemplo do sistema educacional da Finlândia, que de tão eficiente, o país já esta criando um sistema onde cada um trabalha por prazer e faz seu próprio horário, ou seja, trabalhar não é obrigatório é algo pra realização pessoal.

    Esse tipo de sistema de educação já está sendo implantado em diversos locais do mundo seja por organizações privadas ou publicas, inclusive no Brasil. Procure sobre escolas democráticas, conheça projetos como o Projeto Ancora em São Paulo, Escola da Ponte em Portugual e Summerhill na Inglaterra. Assista o documentario “Quando sinto que já sei” que trata sobre escolas inovadoras no Brasil.

    Em relação aos “serviços pesados”. Creio que em um futuro prospero, ais serviços terão boas condições de trabalho igual as demais profissões, bons salários e tudo mais. Trabalharam nesse tipo de serviço aqueles que gostam do serviço ou aqueles que ainda não foram capacitados para o trabalho, mas que terão a oportunidade de se especializar e crescer dentro da empresa que presta tão serviço. Com melhores condições de serviço, bom trabalho. Tais serviços serão porta de entrada para uma especialização ou oportunidade pra aqueles que quererem trabalhar na area.

    Agora vocês me perguntam se existe realmente pessoas que gostariam de serviço pesado mesmo tendo formação superior? Sim existem! O exemplo maior são os professores que mesmo valorizados, os verdadeiros professores, possuem prazer em trabalhar na rede de ensino. Conheço pessoas que são formadas em administração, mas adoram trabalhar como pedreiro de vez enquando, seja pra ganhar uma grana extra ou pra construir a casa propria. Conheço um amigo que terminou a faculdade mais preferiu trabalhar como motorista de onibus por que ama o que faz e se sente realizado com o serviço. Trabalhar bem é trabalhar com prazer! em uma sociedade com mentes ativas e evoluídas, as condições de todos os tipos de trabalho serão dignas, e aqueles que precisaram do serviço em primeiro momento terão a oportunidade de crescer dentro da empresa com boas condições sem abuso, e aqueles que gostam do serviço, ainda terão melhores condições de trabalho pra isso.

    Utopia? Talvez, mas não custa começar a lutar para construção desse mundo.
    Como? Por meio da real educação livre e democratica.

    Só mudando a mentalidade das pessoas que mudaremos o mundo. Não existe mal necessário, existe mal a ser superado!

    Veja minha page no facebook e conheça mais:
    https://www.facebook.com/livresescolas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: