Eu te digo sobre René Descartes.

René Descartes, conhecido como “Pai da Filosofia Moderna”, nasceu na cidade francesa La Haye en Touraine (atual Descartes) no dia 31 de março de 1596. René Descartes também era Fisico e Matemático.

René Descartes

Provavelmente você já deve ter ouvido a frase “Penso, logo existo” e já deve ter feito uso do Plano Cartesiano nas aulas de matemática, ambos de autoria de Descartes. Este afirmava que todo ser que fosse capaz de duvidar de algo, o que para ele significava ‘pensar’, também teria sua existência marcada.

René afirmava que para algo existir, é necessário que seja provado. Ele se utilizava do Plano Cartesiano para provar suas idéas, e chegou a duvidar e provar, através deste método, a existência de Deus.

Descartes também era conhecido por iniciar o estudo pelo método, e em seu Discurso do Método nos mostra 4 regras..

1ª – Não aceitar nada como verdade absoluta, a não ser que isso seja evidente. E não acolher nada que não seja claro e indubtavel. Regra da Evidência.

2ª – Esta regra usa a matemática, e nos diz para dividir nossos problemas em quantas partes sejam necessárias para resolve-lo.

3ª – A terceira regra é conduzir com ordem os pensamentos, começando com os mais simples e indo para os mais complicados. Descartes também afirma que não se fia nos primeiros pensamentos. Na terceira regra é preciso fazer uma síntese da realidade complexa, que foi decomposta em partes menores.

4ª – E a ultima consiste em anotar TUDO que passar pela sua cabeça sobre algum tema, assim nada passará por despercebido.

Mas ele adverte que é um método que usou exclusivamente para si, como uma maneira de dirigir seu pensamento.  Pois o bom senso é o que há de mais bem distribuído no mundo, e o que diferencia a capacidade é o  modo como cada individuo conduz sua  maneira de pensar, por isso se chega a diferentes resultados.

Não devemos viver seguindo modelos, fórmulas, listas, etc. Devemos também agir por nós mesmos, criar nossas próprias idéias e nossos próprios métodos. Se todos compartilhassem da mesma maneira de pensar e chegassem às mesma soluções. A filosofia não passaria de vários livros iguais, porém escritos por diferentes autores. Assim como um dicionário, não haveria a criatividade, não estaria presente a essência do autor.

Matheus Carvalho

Anúncios

,

  1. #1 por Suzana em 06/06/2010 - 15:33

    Texto claro, muito bem elaborado um resumo interessante.

    Parabéns

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: